São Paulo, 22 de Junho de 2018

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Macacos oferecem riscos à saúde.

Escrita por: Redação Fellows Mkt & Co.
03/05/2013 15:25

Pessoas devem evitar contato com os animais.

Há um episódio de “Os Simpsons” em que a família norte-americana dos desenhos animados vem passar um período aqui no Brasil (“Blame it on Lisa” - “O feitiço de Lisa”, em português; é possível assistir ao episódio no YouTube). Como é típico da série – que faz piada com o próprio país e não deixa por menos o país dos outros – é mostrado no desenho o problema da violência (há crianças que roubam e Homer é sequestrado), o carnaval (onde as pessoas se embebedam nas ruas) e até o apelo sexual em programas infantis brasileiros (o episódio foi ao ar em 2002).

Outra das cenas mostra como o amigo de Lisa, o brasileiro Ronaldo, tem problemas com macacos – que, segundo o personagem, gostariam de brincar com ele.

O episódio traz alguns erros: no Brasil a conga não é tão popular como mostrado. Mas será que há macacos nas ruas? Ao menos para quem mora próximo a parques ou áreas verdes pode haver, sim. Eles podem ser vistos com relativa facilidade em algumas áreas de matas, parques ou mesmo em áreas urbanas próximas a seus habitats. Bonitos e divertidos, conquistam a simpatia das pessoas.

Mas é justamente aí que pode haver algum risco. Alimentar, acariciar ou ter qualquer tipo de contato com esses animais silvestres, mesmo que seja um aparentemente simpático sagui, pode ser perigoso. Além de febre amarela, meningite e diversas zoonoses, os macacos podem transmitir a raiva – assim como outros mamíferos. A raiva é fatal, e o único meio de evitá-la quando a pessoa é contaminada é por meio do tratamento com vacina antirrábica. Mas isso deve ocorrer o mais rapidamente possível. Quando a vacina é tomada tendo já transcorrido vários dias a possibilidade de cura diminui drasticamente.

Perigo

Apesar do risco, muitas pessoas não se dão conta do perigo: é comum ver adultos e crianças, idosos e até mulheres grávidas brincando com os macacos em parques ou áreas verdes. Se houver o vírus da raiva circulando entre os animais e a pessoa for mordida, arranhada ou entrar em contato com a saliva ou secreções do animal elas podem ser contaminadas.

Portanto o contato deve sempre ser evitado, bem como dar alimentos ou manter-se próximo dos animais, que podem ter comportamento imprevisível e atacar sem razão aparente. O ideal é manter uma distância segura.

Nos casos em que os macacos aparecem próximos à residência, também não deixar alimentos para eles, ou os animais passarão a ter o hábito de frequentar o local. Aliás, alimentá-los nessa situação pode até causar um desequilíbrio natural, pois os macacos poderão invadir o espaço urbano e começar a predar ovos de pássaros ou proliferar descontroladamente, já que não têm inimigos naturais no ambiente urbano.

O melhor é portanto nunca se arriscar e, no caso de ataque, lavar bem o local com água corrente e sabão, aplicar um antisséptico no local e procurar rapidamente atendimento médico – o tratamento com a vacina contra a raiva, se adotado a tempo, pode salvar a vida da pessoa.

Enfim, macacos fazem parte da natureza. Mas isso não significa que são inofensivos e que não trazem riscos à saúde humana.


Publicado originalmente em 03 de maio de 2013.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.