São Paulo, 17 de Dezembro de 2017

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Competição consigo mesmo

Escrita por: Raquel Francese
30/04/2007 07:07

Le Parkour ajuda praticantes a superar limites

Se você levantasse agora para pegar água, qual caminho faria? E se ao invés de contornar os obstáculos você rolasse por baixo da mesa, pulasse o sofá e usasse uma cadeira como apoio para dar um salto e chegar até a cozinha? Bem, neste caso você seria um particante de Le Parkour.

“Patenteado??? nos anos 80, o Le Parkour foi criado por um garoto que era filho, neto e irmão de bombeiros. David La Belle cresceu em ginásios esportivos, treinou artes marciais e, aos 15 anos, resolveu levar toda a sua experiência com atividades físicas para as ruas. Juntamente com outros amigos, David criou uma maneira de desenvolver seu domínio corporal e ao mesmo tempo superar medos e limites pessoais. O objetivo era chegar de um ponto ao outro da maneira mais rápida possível.

O Le Parkour não é um esporte. Não há competição, e sua prática em grupo serve apenas para que os praticantes dêem idéias – e apoio – uns aos outros. David LaBelle constantemente diz em entrevistas que os traceurs (praticantes do le parkour) devem encarar a atividade como um arte. Enxergar os obstáculos apenas como uma maneira diferente – e divertida - de se alcançar um resultado. Wilson Poletti, traceur do Grupo PK A.L.V.O , explica: “A locomoção torna-se muito mais interessante. Eu ando na rua e penso em vários modos diferentes de chegar aos lugares, em todas as possibilidades. A maneira de observar a arquitetura da cidade fica diferente, também. Acho esta mudança de foco um exercício muito interessante, que você acaba levando para o seu dia-a-dia???.

Mas se tornar um traceur não é tarefa fácil. “Não dá para sair pulado obstáculos. Eu sempre corri, fiz esportes, frequentei academia, e mesmo assim no começo me machuquei bastante. Além do preparo físico, que tem que estar em dia, é preciso alongar bastante antes e depois, e estar concentrado o tempo todo. Cada movimento é planejado.???

Se acha que não está tão bem preparado assim, não desanime. A maioria dos praticantes de parkour começa com rolamentos e obstáculos pequenos. Wilson dá as dicas:


  • O Parkour ainda é pouco divulgado no Brasil. Uma boa maneira de encontrar outros praticantes é procurando na internet;


  • Os praticantes mais antigos podem te dar dicas, mas também existem vídeos que ensinam técnicas de Parkour. Só tenha cuidado para não tentar alguma coisa além da sua capacidade;


  • Ninguém começa sabendo, então não tenha vergonha de pular uma caixinha antes de conseguir pular um hidrante. Conforme seu preparo físico melhora, você vai desenvolver técnicas mais ousadas;


  • Apesar de ser importantíssimo, o preparo físico não garante que você será um bom traceur. É preciso calma, auto-controle e muito treino para executar corretamente os movimentos;


  • Não faça firulas. O Le Parkour consiste em chegar da maneira mais rápida em um ponto. A vertente do exercício que tem como foco a beleza do movimento é o Free Run;


  • O Parkour não é competitivo. A luta é contra seus prórprios limites.




Onde saber mais:

http://www.leparkourbrasil.com.br/

http://www.parkournobrasil.com.br

No Orkut:

Grupo PK A.L.V.O - Atingindo Limites Visando Obstaculos


Associação de Parkour do Grande ABC

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.