São Paulo, 22 de Julho de 2018

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Saiba mais sobre primeiros socorros

Escrita por: Maurício Godoi
18/05/2007 12:45

SangueBom trará dicas para emergências

Como o próprio nome já diz, os primeiros socorros são as ações iniciais, geralmente simples, que podem ser tomadas para que a vida humana seja mantida em casos de emergência. Geralmente, qualquer pessoa pode realizar esse atendimento preliminar, mas para isso, ter conhecimento básico do que fazer pode significar a diferença entre a vida e a morte de uma pessoa.

Em grandes cidades como São Paulo existem serviços de emergência especializados. O mais antigo e conhecido é o Resgate da Polícia Militar do Estado de São Paulo, operado pelo Corpo de Bombeiros. Dependendo da gravidade do caso, o atendimento dessas equipes pode variar de uma simples avaliação de saúde ao providenciamento de um helicóptero para transporte rápido do acidentado ao hospital. O serviço é público e deve ser solicitados pelo telefone 193.

Outra opção, que existe desde 2004 em todo o país, é o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). De acordo com o Ministério da Saúde, o objetivo do serviço é reduzir o número de óbitos, internações e seqüelas decorrentes da demora no atendimento de primeiros socorros. Para solicitá-lo basta telefonar para o número 192.

Nas grandes cidades, os primeiros socorros são úteis para salvar vítimas principalmente nos acidentes automobilísticos – batidas e atropelamentos - em incêndios, tumultos, afogamentos, acidentes industriais e domésticos, tiroteios ou simplesmente um mal súbito, como ataque cardíaco, derrame, convulsão, etc.

A enfermeira-chefe do Hospital e Maternidade São Camilo, Edenir Sartorelli, explica que a primeira providência a ser tomada é chamar um dos serviços de urgência. “Quanto mais rápido isso acontecer, maiores são as chances de salvar a vida da pessoa???, afirma. Mesmo que você não saiba diagnosticar o que a vítima tem, o recurso é bem-vindo e é preciso agir rapidamente. “Dependendo da gravidade do trauma, a vítima pode ter uma hemorragia interna ou estar entrando em estado de choque???, exemplifica.

Outra medida é acalmar a pessoa e afastar os curiosos. A enfermeira aconselha também aos leigos a não mexer na vítima, pois somente quem possui treinamento especializado poderá diagnosticar a gravidade das lesões.

Caminho livre

Em cidades como São Paulo, onde o trânsito é caótico, Sartorelli apela às pessoas que abram caminho às ambulâncias. “Muitas vezes as pessoas não abrem caminho mesmo para equipes de atendimento de urgência???, diz a enfermeira, que foi socorrista do SAMU. “Por isso, chamar sempre equipes de atendimento especializado – Resgate ou SAMU - o mais rápido possível acaba sendo fundamental, pois para salvar essas vidas, todo minuto é precioso???, alerta.

Para quem se interessa e quer saber mais sobre o assunto existem diversos cursos de primeiros socorros, como o ministrado pela Unidade Ipiranga do Hospital São Camilo, em parceria com o SESC. Os alunos saem do curso com uma noção clara do que se pode ou não fazer. "Isso já é a maior parte da ajuda que alguém pode dar em casos de emergência", completa.

O Clube SangueBom vai preparar uma série de dicas semanais para você descobrir o que deve ou não fazer nas emergências. Não deixe de acompanhar.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.