São Paulo, 26 de Abril de 2018

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Abuso do álcool é tema de campanha

Escrita por: Maurício Godoi
14/08/2007 14:23

Governo que estimular o consumo consciente do psicotrópico

O combate ao uso excessivo de bebidas alcoólicas ganhou um aliado de peso. Desde o dia 10 de agosto o governo federal – por meio do Ministério da Saúde – iniciou uma campanha para conscientizar as pessoas que abusam do consumo desse tipo de produto. A intenção é estimular esses consumidores a serem mais responsáveis e evitar assim os problemas associados ao abuso do psicotrópico, como acidentes automobilísticos, hipertensão, câncer no fígado, entre outros.

A campanha, veiculada em rádio e televisão, faz parte da Política Nacional sobre Bebidas Alcoólicas, sancionada por decreto em maio pelo presidente Lula. Entre as ações dessa nova política federal, estão incluídas maior combate à venda do produto a menores de 18 anos, fiscalização mais efetiva contra motoristas embriagados, incentivo à regulamentação de propaganda mais restritiva às bebidas alcoólicas.

Outro ponto controverso é a definição de bebida alcoólica. De acordo com o ministro da saúde, o médico José Gomes Temporão, a nova política rebaixa o nível mínimo de graduação alcoólica que uma bebida apresenta para ser enquadrada nesse grupo. Antes apenas produtos acima de 13 graus eram considerados para esse fim, agora o nível foi reduzido para apenas 0,5 grau, o que inclui todas as cervejas, vinhos, coolers, entre outras bebidas que estavam excluídas do grupo anteriormente.

Problema grave

De acordo com o Ministério da Saúde, o abuso do álcool já se configura como um problema de saúde pública grave. O órgão do governo cita o II Levantamento Domiciliar sobre o Uso de Drogas Psocotrópicas de 2005, que aponta 12,3% das pessoas entre 12 e 65 anos como dependentes da substância naquele ano. Na primeira versão do estudo, conduzido pela Unifesp em 2001, o índice era um pouco menor, 11,2%.

Além do aumento da proporção de dependentes, o ministério está preocupado com a redução etária das pessoas que abusam do álcool. Sem revelar a idade média, o resultado mostra que as pessoas estão tendo contato com a bebida cada vez mais cedo. Por essa razão um dos temas da campanha visa esclarecer aos adolescentes que a bebida não é brincadeira.

Outros dois temas definidos pelo ministério que estão sendo divulgados em seu site são: “O que a propaganda não mostra??? e “Trânsito – bebida não é só diversão???.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.