São Paulo, 22 de Junho de 2018

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Medidas que preocupam

Escrita por: Maurício Godoi
02/10/2007 14:39

Obesidade abdominal pode indicar problemas cardiovasculares

Todo último domingo de setembro é comemorado o Dia do Coração. A data foi criada com o objetivo de estimular as pessoas a adotarem ações que ajudem a manter a saúde desse órgão vital. O que muitas pessoas não sabem é que a circunferência abdominal, mais conhecida como barriga, pode ser um sinal de problemas cardiovasculares.

De acordo com cardiologistas a circunferência máxima na altura do umbigo deve ser de 94 cm. A partir daí, o indivíduo é considerado um obeso abdominal. Em estudo feito em São Paulo com 690 pacientes do sexo masculino entre 18 e 59 anos, revelou que 63% dessas pessoas se enquadram no diagnóstico. O fato eleva a preocupação das autoridades de saúde pública.

Outro índice que chamou a atenção dos pesquisadores é a quantidade de pessoas cujo nível de colesterol está elevado. Do total de pessoas estudadas, 35% apresentaram níveis acima dos 200 mg/dL, o máximo para se enquadrar nos limites recomendados. Além disso, o índice de massa corpórea (IMC) médio foi de 27,5, o que representa um sobrepeso, o estágio que antecede a obesidade.

Reeducação

Esse problema é potencializado quando a pessoa tem diabetes. Segundo o coordenador do Departamento Cardiovascular da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), Dr. Roberto Betti, quem sofre desse mal deve manter o colesterol e a pressão arterial em níveis normais, não fumar, praticar esportes e manter o peso normal. A entidade também participou das atividades do Dia do Coração.

Para o cardiologista e nutrólogo do Hospital do Coração, Daniel Magnoni, entre as causas das doenças cardiovasculares, uma das principais é a boca. Ele afirma que a falta de uma alimentação saudável e regrada contribui decisivamente para a ocorrência de doenças cardiovasculares. A alta ingestão de carnes vermelhas e gorduras, consumir mais de uma fonte de carboidratos por refeição, não mastigar direito os alimentos e preterir frutas e legumes por doces é a rotina de muitas pessoas, e são essas ações que justamente podem ocasionar a obesidade abdominal e os outros problemas relacionados.

As ações para evitar a ocorrência dessas doenças são simples, consistem na reeducação alimentar. Para o Dr. Magnoni, as pessoas devem conhecer o valor nutricional dos alimentos. Além de adotar mais frutas e legumes na dieta diária, existe o peixe que é uma fonte rica em ômega 3, que auxilia na redução dos níveis de colesterol. Outra dica é usar um pouco de azeite extra-virgem que proporciona os mesmos benefícios, mas tudo sem exagero.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aproximadamente 40,6% dos brasileiros adultos são obesos, ou seja, 38 milhões de pessoas estão acima do peso ideal.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.