São Paulo, 26 de Agosto de 2019

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Cuidado com as atividades repetitivas

Escrita por: Maurício Godoi
16/04/2008 08:48

Doenças conhecidas como tendinite podem levar a aposentadoria antecipada

Entre as doenças profissionais que mais acometem trabalhadores no Brasil a, conhecida como, tendinite é uma das mais incidentes. Também chamada de LER – lesões por esforços repetitivos – e DORT - distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho -, as causas mais comuns são referentes ao ambiente de trabalho.

Em grande parte dos casos, a doença surge porque as recomendações indicadas para a melhor ergonomia do corpo não são seguidas. Ou seja, posicionar-se de forma incorreta é uma das causadoras desse mal.

Apesar disso, muitas vezes a culpa não é do trabalhador. Um móvel nas medidas erradas pode comprometer a saúde das pessoas. Como conseqüência as empresas vivem com a possibilidade de ter de enfrentar afastamentos de colaboradores e até mesmo processos trabalhistas, pois dependendo do grau de avanço do mal, pode levar a uma aposentadoria forçada antes do tempo.

Mas nem sempre as doenças profissionais estão ligadas à ergonomia. A LER e DORT são conceituados como um conjunto de síndromes que atacam os nervos, músculos e tendões, especialmente dos membros superiores e do pescoço. São síndromes degenerativas e cumulativas e sempre acompanhadas de dor ou incômodo, provenientes não somente da atividade ocupacional intensiva, mas também de atividades realizadas sob intenso stress.

Qualquer trabalhador pode estar sujeito aos DORT, termo que deve ser usado para esse tipo de distúrbio, pois a LER é a designação de lesão, que surge após o distúrbio. É o que explica a especialista em ergonomia Maria Aparecida Frediani Rocha. Ela afirma que é possível reverter muitas das condições da síndrome.
Uma das formas mais adequadas é atentar para o correto posicionamento. Se você trabalha em escritório ou fica ao computador muitas horas ao dia, veja abaixo algumas dicas da especialista para adequar-se ergonomicamente:

*Na cadeira*

-a altura ideal deve ser de 48 a 58cm;

-o encosto deve estar a 110° do assento;

-possuir apoio para a região lombar e dorsal;

-os pés devem ter contato completo com o chão ou devem estar apoiados em suporte específico;

-as coxas do trabalhador devem permanecer paralelas ao piso;

-o trabalhador deve estar próximo da superfície de trabalho;

-os braços do trabalhador devem ficar apoiados.

*Monitor*

-a altura ideal da 1ª linha escrita deve ser de 155cm;

-a tela deve estar ao nível do horizonte ou levemente abaixo;

-o trabalhador deve localizar-se frontalmente;

-a iluminação deve ser adequada;

-use filtro no caso de brilho excessivo;

-a pessoa deve estar a cerca de 60 cm do monitor.


*Teclado e mouse*

-a altura ideal deve ser de 110cm;

-devem localizar-se próximos e à frente do trabalhador;

-os cotovelos do trabalhador devem permanecer em ângulo de 90°;

-os punhos do trabalhador devem ficar retos.

Existem também outras formas de prevenir-se desses distúrbios. Entre as ações simples que podem ser tomadas estão as pausas rápidas durante o dia de trabalho. Com esse intervalo, que deve ser freqüente e breve, a pessoa pode se recuperar do esforço prolongado. É indicado também realizar alongamentos para as áreas do corpo que estiverem executando uma tarefa.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.