São Paulo, 15 de Dezembro de 2019

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Normal ou cesariana?

Escrita por: Redação Fellows Mkt & Co.
26/02/2010 17:44

Cesária compromete saúde do bebê

A popularidade da cesária está em alta, no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, as cesarianas representam 33,25% dos partos realizados pelo SUS, em números, isso representa 660 mil cirurgias por ano. O recomendado é que a porcentagem não extrapole 15%, mas não é a realidade, como podemos verificar.

Agendar o parto é uma opção cada vez mais comum entre as mulheres, o que ocorre na maioria das vezes por medo de não suportarem as dores do parto. Esse tipo de postura não é comum apenas em país em desenvolvimento. Na Inglaterra, 25% dos partos realizados são cirúrgicos e nos Estado Unidos esse índice passa os 30%, segundo dados do The NHS Information Centre.

O mais preocupante nos partos agendados é que a cirurgia por ter uma data previamente estabelecida não respeita o desenvolvimento do bebê. Um parto realizado antes da hora correta significa que há risco de diversas complicações para a criança, como: problemas respiratórios e hipoglicemia.

O bebê não é o único prejudicado quando as mães optam pelo parto sem dor, as próprias também correm riscos. Para realização da cesária é feito um corte no abdômen e então a mulher está exposta e suscetível a contrair infecções.

O parto normal é a opção mais indica. Outra possibilidade só deve ser cogitada em situações extremamente necessárias, como por exemplo, trabalho de parto prematuro ou prazo do nascimento ultrapassado, nesses casos, a mãe e o filho correm risco de vida e a intervenção cirúrgica é fundamental. Salvo essas exceções as demais mulheres devem optar sempre pelo mais seguro, o parto normal.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 16h30 e aos sábados das 8h às 16h.