São Paulo, 17 de Agosto de 2018

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Triagem: de olho na janela imunológica.

Escrita por: Redação Fellows Mkt & Co.
04/05/2010 14:13

Aliada a outros métodos, triagem ajuda na segurança do sangue.

“Sim” para “sim”, “não” para “não”. É de uma maneira muito simples que funciona uma das medidas para auxiliar na segurança do sangue doado. Trata-se do processo de triagem, em que a pessoa que deseja doar seu sangue passa por uma entrevista médica para que sejam aferidas as condições de segurança da doação.

Este processo existe para ajudar a assegurar a saúde de quem receberá o sangue doado.

Este é um cuidado importante em razão da existência da chamada “janela imunológica”.

Todo sangue recebido em uma doação é testado através de exames que certificam que o sangue não está contaminado por agentes infecciosos (vírus ou bactérias). Este processo garante uma boa margem de segurança e é fundamental para proteger a pessoa que receberá a transfusão.

Entretanto, os exames normalmente não conseguem detectar algumas doenças quando a pessoa se infectou há pouco tempo, pois os fatores relacionados à doença levam alguns dias para aparecer no sangue. Esse período de “demora” entre se contrair um vírus (por exemplo) e ele poder ser detectado num exame é chamado de janela imunológica.

Janela imunológica: o tempo entre
contrair um agente infeccioso (vírus ou bactéria) e ele poder ser
detectado em exames.


É por isso que o processo de triagem e a entrevista médica têm sua importância. Nessa entrevista são feitas perguntas a respeito de comportamentos ou condições de risco que, por meio de uma avaliação médica, podem ajudar a indicar situações em que a doação não é indicada.

As respostas dadas são totalmente sigilosas. E têm como único objetivo assegurar a segurança do sangue captado na doação.

Por isso que responder “sim” quando for “sim” e “não” quando for “não” – isto é, dar respostas com sinceridade e franqueza – é tão importante na triagem.

Uma pessoa não ser aprovada na triagem, porém, não significa necessariamente que ela está doente – mas é uma medida de segurança que tem como objetivo proteger pacientes que aguardam uma transfusão.

O NAT: uma maneira de se
diminuir a janela imunológica.


Porém não são apenas os exames tradicionais e a triagem que ajudam a detectar doenças no sangue doado. A Biotec, do Clube Sangue Bom, realiza também um teste adicional chamado “NAT”, que detecta material genético do vírus por meio de testes de biologia molecular. Esse teste diminui a janela imunológica, pois permite que alguns vírus possam ser detectados poucos dias após a infecção.

Por exemplo: um exame normal detecta vírus da hepatite C apenas após aproximadamente 60 dias da contaminação. Com o NAT, os vírus da hepatite C podem ser detectados cerca de 20 dias após a contaminação. O HIV, que seria detectado apenas após 21 dias, com o NAT pode ser detectado cerca de 11 dias depois da contaminação.

Aliado à importante sinceridade e responsabilidade do doador no processo de triagem, o sangue assim coletado é mais seguro para uso dos pacientes que precisam de transfusão.

O importante é que, ao comparecer para realizar uma doação de sangue, a pessoa seja sincera e responda com muita atenção às perguntas feitas na triagem. Isso é tão importante quanto doar. E todos agradecem!

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.