São Paulo, 28 de Maio de 2018

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Como evitar a dor nas costas

Escrita por: Raquel Francese
01/02/2007 09:22

Mudanças simples no seu dia-a-dia podem resolver o problema

Fique em pé e relaxe. Agora, observe sua postura. O abdômen está contraído? Os joelhos ligeiramente voltados para fora? A coluna alinhada até o final do pescoço? Se alguma das respostas é "não", você provavelmente sofre de dor nas costas.

A causa mais freqüente de dor nas costas em jovens e adultos é a postura inadequada, seguida de obesidade, quedas e deformações ósseas. A fisioterapia e a Reeducação da Postura Global (RPG) têm se mostrado maneiras eficiente de resolver definitivamente as dores na coluna, pois fortalecem os músculos do tronco e reeducam a postura, eliminando as causas da dor. A simples mudança de postura já resolve o problema, mas é importante ficar atento à manutenção: exercícios periódicos e consciência corporal são essenciais para evitar o retorno do problema.

Para obter um diagnóstico correto da sua dor, consulte um ortopedista. Ele indicará o tratamento mais adequado. Se a sua dor não é crônica, você pode aliviá-la mudando alguna hábitos. Veja abaixo as principais causas de dores nas costas:

Trabalho – Se você trabalha sentado, é muito provável que sua dor nas costas venha da posição na qual você fica na cadeira. O correto é manter a coluna apoiada no encosto e a 90 graus do assento. As pernas devem ficar descruzadas, os pés apoiados no chão e o abdômen contraído.

Dormir na posição errada – Dormir de bruços, com o travesseiro alto ou em colchão mole podem prejudicar severamente a sua coluna. Prefira colchões ortopédicos e durma de lado ou de barriga para cima. O travesseiro não deve ultrapassar a distância entre seu ombro e o pescoço.

Salto alto – Saltos acima de 4 centímetros aumentam a lordose lombar, forçam as articulações posteriores do corpo e sobrecarregam a coluna. Não é recomendável usá-los todo dia, mas o uso eventual não causam danos.

Sedentarismo – A falta de exercícios deixa os músculos de sustentação da coluna flácidos. É importante fazer alguma atividade física como tai-chi-chuan, ioga ou escalada, que fortalecem os músculos das costas, costelas e da região abdominal e evitam a sobrecarga nos ossos da coluna.

Exercícios incorretos – Um problema tão sério quanto o sedentarismo é a prática de exercícios sem orientação, capazes de causar lesões graves na coluna. Os mais perigosos são corrida e musculação. Vale lembrar que, quando executados corretamente, estes mesmos exercícios podem ser benéficos.

Carregar peso – Carregar caixas, malas ou crianças muito pesadas pode machucar as suas vértebras, principalmente na hora de tirá-los do chão. Para levantar qualquer tipo de peso, flexione os joelhos e agache suavemente. Pegue o objeto e levante-o sem arquear a coluna, dando impulso com as pernas.

Obesidade - O excesso de peso exige maior força de sustentação da coluna, já que metade do nosso peso corporal concentra-se da cintura para cima. Mas é importante lembrar que pessoas ligeiramente acima do peso que praticam exercícios ainda têm menos problemas que as magras e sedentárias.

Stress – O grande vilão da saúde também atinge a coluna. A tensão pode se acumular nos músculos das costas, causando má postura. Pessoas estressadas também ficam mais sensíveis a qualquer tipo de dor.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.