São Paulo, 15 de Dezembro de 2019

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Ácaros: você nãos os vê, mas eles estão lá.

Escrita por: Redação Fellows Mkt & Co.
19/11/2010 16:17

Microscópicos, causam alergia e estão por toda a parte.

Não é muito agradável saber, mas boa parte da poeira que pode ser encontrada em um ambiente é proveniente de... pele humana. Isso mesmo: a descamação natural da pele gera uma quantidade considerável de minúsculas partículas que vão se acumulando sobre o ambiente.

Eles adoram.

Na verdade, o pó que recobre o chão, móveis e utensílios de uma casa não é composto só por pele humana: boa parte é feita de minúsculos grãos de terra mesmo, que são erguidas do solo pela natureza (ex.: vento) ou pela ação do homem (ex.: a obra na casa ao lado). Também pode haver sal, que evapora dos cerca de ¾ de água salgada que recobre a superfície do planeta. Pode haver até – pasme! – poeira vinda do espaço, por meio dos pequenos (mas extremamente numerosos) meteoros e meteoritos que todo ano se desintegram na atmosfera e ajudam a aumentar o tamanho do planeta.

Entre inúmeras outras coisas também há fuligem, produzida por incêndios florestais, automóveis e atividades industriais que jogam resíduos na atmosfera.

Mas são mesmo os restos de pele que fazem a festa para os ácaros. Um pesadelo para quem tem alergias, como rinite e asma – e/ou um saudável gosto por limpeza.

Esses seres de aparência nada amigável, parentes das aranhas, só não nos choca com seu aspecto repugnante (mais do que qualquer monstro hollywoodiano) porque literalmente não podem ser vistos a olho nu. E, tão pequenos, podem tranquilamente viver às centenas em um único e mísero grama de poeira. E vivem tempo: podem chegar até a mais de 3 meses. Uma eternidade, se considerarmos seu minúsculo tamanho e que uma útil e laboriosa abelha operária, por exemplo, vive apenas cerca de um mês e meio.

Mas os ácaros não são o único problema. Além de nojentos, não são só eles que fazem mal à saúde: também seus dejetos são potencialmente alergênicos.

Declare guerra
aos ácaros.


E como se livrar desses indesejáveis e intrometidos parceiros de cama, mesa, sofás e – argh! – toalhas e utensílios de toda espécie? Seguem algumas dicas:

• Areje o quarto e a casa. O ar fresco diminui renova o ambiente, diminuindo a concentração de poeira e a umidade (que os ácaros também adoram).

• Exponha ao sol colchões, travesseiros, lençóis, etc. Pelo mesmo motivo.

• Use e abuse do aspirador de pó. Vale ter um em casa e usar à vontade. Cada vez mais baratos, têm se tornado utensílios bem acessíveis. E lembre-se: aspirar o pó é melhor do espaná-lo (ao espanar, você está apenas mudando o pó de lugar). Use também um pano umedecido para limpar móveis e objetos.

• Além de aspirar (ou varrer) o chão, passe um pano úmido para complementar a limpeza. Se for varrer ao invés de aspirar, varra primeiro e limpe objetos e móveis depois.

• Escolha colchões e travesseiros tratados com acaricidas. E suma com os carpetes.

• Lave sempre blusas, roupas de cama e afins.

• Mantenha bichos – gatos, cachorros, etc. – fora de casa. Seus pelos e peles também são apreciados pelos ácaros.

• Não abuse de umidificadores de ar. Ar muito úmido significa melhores condições para os ácaros. Se puder, prefira o ar mais seco do que úmido.

E, por fim, se tem problemas alérgicos, consulte sempre seu médico. Ele pode orientar em outras medidas de controle da doença e até dar outras dicas de combate a esse inimigo invisível, mas bastante incômodo.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 16h30 e aos sábados das 8h às 16h.