São Paulo, 18 de Novembro de 2018

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Acne: cuidar para evitar danos.

Escrita por: Redação Fellows Mkt & Co.
17/12/2010 16:01

Muita gente não as leva a sério – mas é bom levar.

São típicas da idade, e muitas vezes as pessoas nem dão bola: elas chegam, infernizam a vida por algum tempo (“logo hoje que tenho uma festa?!”) e depois vão embora, sem maiores consequências. É a acne.

Popularmente chamada de “cravos” e “espinhas”, a acne é uma doença que envolve uma série de fatores, entre os quais até mesmo genéticos. Seu aparecimento está relacionado aos hormônios sexuais, daí serem mais comuns na puberdade, fase em que esses hormônios têm sua produção estimulada. Entretanto, a acne também pode aparecer em pessoas adultas, tanto em homens como em mulheres – mas, na fase adulta, podem ocorrer mais nas mulheres.

A acne é, na verdade, o desenvolvimento de uma inflamação, que ocorre em razão do aumento da secreção sebácea da pele associada à obstrução ou estreitamento dos poros. Quando isso ocorre, o local pode ser atacado por microorganismos, que então provocam a inflamação típica da doença.

A questão é que o problema pode ser grave, gerando incômodo, dor e podendo até mesmo deixar cicatrizes.

Além disso, há também a questão emocional – em que a pessoa passa a enfrentar uma sensação de desconforto com a própria aparência em razão do problema.

Entretanto, há tratamento: podem ser utilizados desde medicamentos tópicos ou de uso oral e até procedimentos dermatológicos específicos, que podem combater o problema e até mesmo aliviar eventuais sequelas (cicatrizes), caso elas tenham se desenvolvido.

A melhor dica é não esperar a questão se agravar: vale consultar um médico dermatologista, que pode fazer o diagnóstico correto do problema, sua intensidade, e indicar o melhor tratamento – inclusive prevenindo sequelas ou, se possível, prescrevendo formas de amenizar as sequelas existentes. Não descuide: ficar atento a si e/ou aos filhos adolescentes e procurar um médico é uma boa medida para evitar maiores transtornos.

Atenção: Este texto é meramente informativo e seu conteúdo é genérico. Este texto não substitui a opinião de um profissional de saúde. Não determine suas ações meramente com base nos dados aqui contidos. Consulte sempre um médico e siga o tratamento prescrito. É o médico quem melhor tem condições de avaliar um estado físico e/ou de saúde, fazer diagnósticos, indicar tratamentos e medicamentos quando for o caso e dar orientações em questões de saúde.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.