São Paulo, 17 de Agosto de 2018

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Conjuntivite: é preciso ter cuidado.

Escrita por: Redação Fellows Mkt & Co.
23/03/2011 15:55

Doença é contagiosa e tratamento incorreto pode criar complicações sérias.

A conjuntivite vez ou outra aparece em epidemias por regiões do país. A doença se caracteriza por olhos vermelhos, secreção, pálpebras inchadas, lacrimejamento e sensação de que há algo nos olhos (a pessoa pode apresentar alguns ou todos esses sintomas, ou mesmo outros não listados aqui).

A doença consiste na inflamação da conjuntiva, uma membrana que cobre a região branca do olho, causando a dilatação dos vasos sanguíneos e o aspecto de vermelhidão.

A doença pode ter várias causas, como irritação por elementos químicos, reações alérgicas e vírus e bactérias. São estas últimas (conjuntivites causadas dor vírus ou bactérias) que são contagiosas, e que comumente causam as epidemias.

Os sintomas são mais acentuados logo na primeira semana da infecção, que pode facilmente passar de um olho para outro e para outras pessoas.

O contágio se dá pelo contato com mãos, objetos, toalhas, piscinas, etc., que estejam contaminadas.

Para prevenir, é importante manter sempre as mãos limpas, lavando-as várias vezes ao dia; evitar tocar ou coçar os olhos, não compartilhar toalhas, lenços, lençóis e fronhas, não usar piscinas públicas ou banheiras mal higienizadas, etc.

Não se engane:
é preciso tomar cuidado.


A conjuntivite é vista como “sem importância” por algumas pessoas, mas isso não é verdade.

É sim necessário ter cuidado com ela.

Entre esses cuidados, é preciso evitar a automedicação. Tratamentos caseiros ou por conta própria, bem como o uso de remédios ou colírios sem prescrição médica (como colírio à base de cortisona), podem gerar problemas visuais muito sérios, como catarata e glaucoma. Portanto o melhor mesmo é procurar um médico oftalmologista logo nos primeiros sintomas, e seguir as instruções médicas cuidadosamente.

Se não for bem tratada, a conjuntivite pode causar até a cegueira.

Também é fundamental que o paciente tome cuidado para não contaminar outras pessoas, evitando tocar os olhos (os vírus ou bactérias passarão para a mão e, em seguida, para objetos ou para as mãos de outras pessoas, que então também poderão se contaminar). Para ajudar a evitar isso, o médico pode inclusive dar licença médica para o paciente, que assim não contaminará os colegas de trabalho. Mesmo assim, os cuidados em casa e nos demais locais que o paciente frequenta deve ser intenso, evitando a disseminação da doença.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.