São Paulo, 17 de Agosto de 2018

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Calásio ou terçol*?

Escrita por: Redação Fellows Mkt & Co.
25/03/2011 16:07

Problemas na pálpebra são parecidos.

*A imagem que ilustra este texto é de um olho saudável, e não é um exemplo das doenças.

A pálpebra fica inchada, com um pequeno caroço se formando sob ela. O aspecto não é nada bom e pode haver quadro de dor.

Trata-se do terçol ou do calázio. De certa forma, os problemas são parecidos, mas não são iguais. Ambos são lesões na pálpebra, a pele que recobre o olho. O terçol, porém, envolve infecção – que normalmente não está presente no calázio.

O terçol é a inflamação de glândulas situadas na borda da pálpebra, perto dos cílios. Ele dói e incomoda mas tende a desaparecer sozinho.

O calázio, por sua vez, é a inflamação de outra glândula, chamada meibômio. O calázio não é produzido por bactérias e, mesmo quando a inflamação é solucionada, pode ficar um pequeno caroço (granuloma) sob a pálpebra, formado porque a glândula meibômio não consegue secretar o líquido que produz (a secreção vai se acumulando no local). Entretanto, também pode ocorrer o desaparecimento natural do granuloma, dependendo da evolução de cada caso.

Tanto o terçol quanto o calázio tendem a desaparecer em cerca de três dias. Caso o granuloma do calázio não desapareça com o fim da inflamação, o médico pode prescrever procedimentos, medicamentos e/ou o uso de compressas de calor úmido. Também pode ser solicitada uma avaliação refracional, para avaliar fatores que podem estar relacionadas ao problema.

Em ambos os casos, cuidados com a higiene dos olhos, manter as mãos sempre limpas e evitar pôr os dedos no local onde o terçol ou calázio apareceram pode ajudar a prevenir a repetição do problema e, no caso da infecção por bactérias, a disseminação da doença – para outras pessoas e, inclusive, para o outro olho do mesmo paciente.

Também é importante consultar o médico. Ele fará o diagnóstico correto da doença (pois são parecidas e é necessária uma avaliação para saber de qual se trata) e prescreverá o tratamento adequado.

Atenção: Este texto é meramente informativo e seu conteúdo é genérico. Este texto não substitui a opinião de um profissional de saúde. Não determine suas ações meramente com base nos dados aqui contidos. Consulte sempre um médico e siga o tratamento prescrito. É o médico quem melhor tem condições de avaliar um estado físico e/ou de saúde, fazer diagnósticos, indicar tratamentos e medicamentos quando for o caso e dar orientações em questões de saúde. Não use medicamentos sem prescrição médica.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.