São Paulo, 17 de Dezembro de 2017

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Tocar um instrumento melhora o ritmo da saúde.

Escrita por: Redação Fellows Mkt & Co.
06/03/2012 15:32

Atividade é benéfica para o cérebro e para a qualidade de vida.

Você toca violão? Pois então: quem toca tem maiores e melhores condições de desenvolver uma série de benefícios para o cérebro. Isso porque a prática dessa atividade faz com que o cérebro seja estimulado a desenvolver ligações neurais relacionadas à memória e à atividade motora.

Ou seja (simplificando, o mecanismo a partir do qual o estímulo funciona é até relativamente fácil de se entender): o cérebro, quando estimulado ou treinado, busca desenvolver novas conexões entre os elementos que o compõe – os neurônios. Com os ensaios, novas e mais
“sólidas” conexões são formadas entre as redes de neurônios, fazendo com que a pessoa “decore” as músicas, ritmos, canções, etc., e, com isso, melhore funções cerebrais como a memória e a coordenação motora.

E quanto mais se ensaia, mais essas conexões são fortalecidas. É como uma trilha no meio da mata: quanto mais ela é usada, mais o caminho fica demarcado no chão. Com o cérebro é a mesma coisa: quanto mais a pessoa utiliza um determinado recurso de sua mente (como os que são necessários para se tocar um instrumento), mais e melhor os caminhos ficam definidos, e o cérebro se desenvolve.

Isso sem falar nos ganhos relativos ao stress e à qualidade de vida – pois tocar um instrumento ajuda a afastar os problemas cotidianos da mente e pode ser muito relaxante. Além disso, é um meio de integração social: você já viu alguém com um violão que não tivesse ao menos uma pessoa a seu lado ou interessada na música que ela estivesse tocando?

Isso faz do aprendizado musical um grande impulso para a memória, o raciocínio e para a qualidade de vida como um todo.

É claro que o mesmo recurso se aplica a outros instrumentos – a referência ao violão aqui foi só um exemplo. Pode ser até mesmo o mais comum de todos os instrumentos: a voz, o que faz de cursos de canto e coral também uma excelente opção para a obtenção desses benefícios.

Para quem se dispõe a tocar um instrumento de sopro (saxofone, trompete, trombone, flauta, etc.), entretanto, podem haver até outros benefícios, desencadeados pelo uso do sistema respiratório, que pode também acabar se fortalecendo pela prática respiratória utilizada para se tocar tais intrumentos.

E não interessa que idade a pessoa tem: quando se é criança, por exemplo, o aprendizado pode até parecer mais fácil. Mas se por um lado, com a idade, a pessoa tende a ter menos tempo ou encontrar um pouco mais de dificuldade, por outro a determinação e o prazer de se dedicar a uma atividade por interesse puro e simples podem ser fatores muito benéficos.

Então, que tal aprender a tocar algum instrumento ou cantar? Não importa sua idade: escolha o que for de sua preferência e boa música!

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.