São Paulo, 17 de Agosto de 2018

Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Feijoada / Confraternização de Doadores e Aniversário de 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom
Confraternização de Doadores e 9 Anos do Clube SangueBom

Xô, diarreia!

Escrita por: Redação Fellows Mkt & Co.
18/12/2012 11:53

Problema pode ser sério – e sempre requer atenção.

Quase todo mundo talvez já tenha tido diarreia. Aliás, quem diz que não teve ao menos uma diarreia na vida é porque ou não se lembra ou porque ainda passará por ela.

Isso porque a diarreia é ocorrência muito comum; um funcionamento incorreto ou inadequado do trato gastrointestinal. Entretanto, o fato de ser um ocorrência relativamente comum não significa que deve ser vista como natural. A diarreia requer sim atenção, pois pode ser sinal de um problema mais grave, além de poder piorar com medidas inadequadas e envolver sérios riscos em pessoas com outros problemas de saúde, em crianças e em idosos – ou mesmo em adultos saudáveis.

Pode ser considerada diarreia a evacuação em excesso – acima de 200g de fezes por dia, estando elas pouco consistentes ou aguadas. Isso é um dos fatores que faz a diarreia perigosa, pois junto com as fezes é eliminada a água e dois minerais muito importantes para o equilíbrio do corpo, que são o sódio o potássio.

Além disso, há diversas causas para a diarreia: há as que são decorrentes da ingestão de bebidas ou alimentos contaminados por bactérias ou protozoários (amebas, giárdias) ou mesmo por problemas como a ingestão de antibióticos, consumo de lactose (nos casos das pessoas que têm intolerância a esse componente dos leites e derivados) e até de vitamina C – entre outras causas possíveis. Também pode ocorrer diarreias em casos de problemas ainda mais sérios, como úlceras e outras doenças, por isso é bom estar atento.

O que fazer?

De repente a pessoa é acometida por uma diarreia. E agora? Uma medida é não suspender a alimentação. Ela pode ajudar a controlar a diarreia – entretanto, alimentos gordurosos, à base de leite e café devem ser evitados no período, bem como alimentos com grande quantidade de açúcar (doces, sucos com açúcar, refrigerantes e alguns isotônicos açucarados, por exemplo). Alguns adoçantes também devem ser evitados. Não consumir álcool, pois ele aumentará mais ainda a desidratação ou mesmo a irritação do sistema digestivo. O ideal é tomar muita água. Também pode ser ingerido o soro caseiro, feito com uma colher de chá de sal mais uma colher de sobremesa de açúcar diluídos em um litro de água limpa (filtrada ou fervida), tomado aos poucos. Não se automedicar: o consumo de remédios incorretamente pode agravar o problema.

Se a diarreia for muito severa e/ou vir acompanhada de outros sintomas (febre, fezes com sangue – avermelhadas ou enegrecidas), for incessante (não há melhora em 48 horas), contínua ou recorrente por vários dias ou em pacientes que se negam ou não conseguem comer, a busca de atendimento médico é indispensável.

Um cuidado especial deve ser dado também a crianças e a idosos, nos quais os efeitos da diarreia podem ser ainda mais sérios e, em pouco tempo, pode ocasionar até a morte por desidratação ou outras complicações.

Como evitar

Como há várias causas possíveis para a diarreia, pode ser que nem sempre a tomada de um dos cuidados evite que o problema ocorra. Entretanto, alguns cuidados gerais que podem contribuir na prevenção são adotar hábitos corretos de higiene (lavar sempre as mãos, várias vezes ao dia, em água limpa e corrente, principalmente – mas não só – antes das refeições e após usar o banheiro, usar apenas copos e utensílios limpos, etc.), tomar cuidado no consumo e preparo de alimentos (não consumir alimentos e bebidas de origem duvidosa, que tenham alteração de cor ou sabor, em mau estado de conservação, etc.), tomar apenas água filtrada ou fervida ou de origem segura (inclusive gelo), não fazer uso de medicamentos sem orientação médica, não abusar de laxantes ou vitamina C, não se banhar em praias, rios, lagos ou piscinas com água imprópria, etc.

Diarreias frequentes, recorrentes ou acompanhadas de alguns tipos de sintomas requerem cuidados especiais e não podem ser prevenidas apenas com as sugestões acima. Nesse caso, a orientação médica é necessária.

Um cuidado especial com a diarreia deve ser tomado nos períodos de férias e de final de ano, por exemplo, em que o calor, associado ao consumo maior de bebidas e alimentos (nem sempre produzidos e guardados da maneira adequada), às viagens e à época de chuvas (que podem propiciar uma maior contaminação da água) aumentam a possibilidades de ocorrência da diarreia.

Atenção: Este texto é meramente informativo e seu conteúdo é genérico, portanto não tome decisões relacionadas à saúde meramente com base nessas informações. Consulte sempre um médico e siga o tratamento e recomendações por ele prescritas. Em situações relacionadas à saúde o médico é quem melhor tem condições de avaliar o estado físico e/ou de saúde, interpretar sintomas, eliminar dúvidas, orientar, fazer diagnósticos, indicar tratamentos, dietas e medicamentos (quando for o caso) e dar orientações e/ou prescrições de medicamentos e procedimentos.


Publicado originalmente em 18 de dezembro de 2012.

Pompeia: Rua Tavares Bastos, 425 - (11) 3674-4444 - De 2ª a 6ª das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 16h.